odairarmelas@gmail.com  
 
Fotografia sinalética

A busca da identidade questionada de uma pessoa retratada em fotografia (imagem bidimensional) deve ser realizada por comparação dos traços fisionômicos aparentes, para tanto, se faz necessário outras imagens distintas daquela perquirida e, estas, serão denominadas de imagens padrões para os procedimentos de confronto. Tal procedimento se consubstancia no método criado por Alphonse Bertillon (1853 - 1914), Oficial de Polícia francês nascido em Paris, conhecido como o criador da moderna Polícia Técnica, criando métodos, processos e noções utilizados para facilitar o inquérito judiciário, especialmente quando a serviço da Chefatura de Polícia de Paris. Seu método se baseia na ANTROPOMETRIA FÍSICA, chamado de "bertilhonagem", que se preocupa com o estudo das variações quantitativas e qualitativas dos caracteres humanos, mais que se completa com a perenidade, imutabilidade e variedade dos desenhos digitais (LOCARD), bem como pela "Fotografia Sinalética", sobretudo quando esta permite o estudo das variáveis quantitativas atinentes à mensuração realizadas na face ou por todo corpo do ser humano. Para tanto, BERTILLON em seus postulados exige “Fixidez quase absoluta do esqueleto humano a partir dos 20 anos de idade, pois somente assim se pode contempla o mapeamento das faces ou outras partes investigadas (padrões e questionada) com ênfase para o diâmetro longitudinal do crânio, diâmetro transversal e diâmetro bizigomático, altura da orelha direita, cor da íris esquerda, cicatrizes e outra deformidades apresentadas.

Modernamente a fotografia sinalética recebeu um extraordinário reforço da informática, pois esta possibilita a identificação pela Biometria (do grego Bios = vida, metron = medida) que é o uso de características biológicas em mecanismos de identificação. Entre essas características tem-se a íris (parte colorida do olho), a retina (membrana interna do globo ocular), além de outras formas absolutamente individuais. Com exceção dos gêmeos idênticos, a face humana é indiscutivelmente uma característica física única em cada pessoa. Enquanto nós humanos temos acentuado nossa inata habilidade para reconhecer e distinguir faces humanas e objetos através dos anos, hoje, os computadores estão sendo capazes de processar milhões de imagens por segundo para um sistema de reconhecimento facial. Se você se olhar no espelho, você poderá ver que sua face possui certas marcas distinguíveis. Estas são os "Peaks" e os "Valleys" que criam as diferentes características faciais. O sistema define estas marcas como "nodal points". E, na face de cada ser humano existem mais de 80 "nodal points" individualizadores e identificativos.

 

 

odair lece - perito grafoténico - fotografia sinalética

odair lece - perito grafotécnico

 

Odair Armelas Lece - Perito Grafotécnico - 2009 - Todos os direitos reservados - Criado por Carlos Vitor de Castro